A Primeira Noite de um Homem

“A Primeira Noite de um Homem”- “The Graduate”, Estados Unidos, 1967

Direção: Mike Nichols

Essa comédia de humor sofisticado marcou época.

Não só porque lançou Dustin Hoffman, que tinha 30 anos e fazia o personagem principal, Benjamin Braddock, jovem recém formado de 21 anos, mas também porque ninguém esquece a “Mrs Robinson” de Ann Bancroft, que tinha 35 e fazia a mulher fatal, quarentona, segura de si mesma, com a famosa mecha clara no cabelo escuro e pernas longas, que seduz o garoto desajeitado.

“A Primeira Noite de um Homem”, o segundo filme de Mike Nichols e seu primeiro e único Oscar, era também uma novidade no cinema americano porque apresentava personagens com problemas existenciais mais próximos das pessoas comuns.

Benjamin, o Ben, no começo completamente tolhido pelos pais, que esperam que ele tome uma iniciativa de fazer algo na vida, sente-se aprisionado como os peixes no aquário do seu quarto.

Mas, por outro lado, como é bom não fazer nada, a não ser rodar por aí com o conversível vermelho que ganhou pela formatura e relaxar na piscina pensando em Mrs Robinson.

E ela? Aparentemente por um capricho, seduz o filho do sócio do marido mas, na verdade, ela tenta resolver de forma simplista a angústia da idade e do casamento frustrante que ela vive.

Há também uma alusão à comparação com a filha, Elaine (Katharine Ross), jovem, com a vida pela frente e a inveja que isso causa na mãe que vê a vida passar sem grandes esperanças. E tem seu problema com a bebida.

Há um aspecto melancólico no filme que aparece em todos os personagens através de suas frustrações. Assim, Ben aposta no amor de Elaine, a filha do sócio da família para resolver sua vida e agradar os pais. Já Mrs Robinson quer triunfar sobre a filha e vencer no triângulo formado com Ben. Os pais desistem de comandar a vida do filho e o marido de Mrs Robinson descobre o caso e vai ter que se divorciar, um horror na época.

Ou seja, a vida é bela em alguns momentos. Bem poucos. Principalmente porque as decisões são tomadas de forma impulsiva e há enorme expectativa de que a solução para todos os problemas existe e está logo ali, no outro.

E a trilha sonora que ficou famosa, de Simon & Garfunkel, completa o quadro com a famosa canção “Sound of Silence” e as outras canções que acompanham no mesmo tom as cenas principais.

No fim, o olhar do par Ben e Elaine, no ônibus, não é exatamente o de um casal feliz. Parecem mais dois fugitivos assustados com o que os espera na vida.

Aliás, como quase todos nós, quando tínhamos 20 anos e tudo apenas começava.

É bom rever “A Primeira Noite de Um Homem” e lembrar de nós mesmos.

Este post tem 1 Comentários

  1. Rita de cassia guedes disse:

    Obrigada pelas dicas.
    # amo cinema!!
    Abracos e sucesso!!!

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!