Dogman

“Dogman”- Idem, Itália, França, 2018

Direção: Matteo Garrone

Só ele para amansar as feras. Falava com carinho e não se intimidava com latidos e rosnares. Dava banho nos cães daquele lugar pobre e esquecido perto do mar, nos arrabaldes de Roma. O pequeno Marcello (Marcello Fonte, prêmio de melhor ator no Festival de Cannes) era dono do petshop “Dogman” que cuidava de cães maiores do que ele, franzino e baixo.

Adorava a filha pequena, nascida de um casamento já desfeito. Ela também retribuía o amor dele e ajudava com o trato dos cães quando o visitava. Mas dela ele escondia seu outro trabalho: vendia cocaína no bairro.

Simone (Edoardo Pesce), o grandalhão feroz, que amedrontava a todos que andavam por ali, Marcello tentava tratar como os grandes cachorrões de dentes afiados. Nada feito. Simoncito era violento e forçava Marcello a obedecê-lo.

Na verdade, era seu cliente na droga mas abusava de seu tamanho e força física para submeter Marcello a seus desejos e há tempos não pagava mais a cocaína que exigia que o pobre Marcello lhe fornecesse.

Por culpa de Simone, ele se submete a ser motorista de um roubo. Não havia como dizer não. O grandão o obrigava a fazer o que ele queria.

E, ao saber pela boca dos ladrões que um cãozinho sofria na casa roubada, Marcello não hesita. Volta para salvá-lo. Temerariamente, escala os muros e entra na casa. Como o mais importante é salvar o cãozinho, ele não pensa nas consequências. Dessa vez ele escapa. Mas começamos a temer por sua sorte.

Marcello é um sujeito simpático com todo mundo. Sempre saudando os outros com o mesmo sorriso. Até quando não era correspondido.

Um dia no café da praça escuta que os negociantes do local querem se livrar de Simone e fica apreensivo por causa do outro. Mas por que? Ele também viveria melhor sem os abusos de Simone. Mas a alma humana tem segredos estranhos. Marcello precisava do grandalhão para ter um arremedo de amigo.

E as maiores encrencas começam. A docilidade de Marcello e sua impotência perante a violência do outro vão tomar outro rumo.

Quando Marcello vai preso no lugar de Simone porque não delata o verdadeiro culpado para a polícia, isso vai ter consequências fortes. Marcello sai da prisão diferente de como entrou.

Matteo Garrone, o diretor e co-escritor do roteiro fala no filme dessa violência e agressividade latentes em todos nós. Se as relações entre os homens não se pautarem pela civilidade estamos correndo o perigo de cair no caos. Mesmo os que se guiam pela cordialidade tem acesso à essas forças subterrâneas. Cuidado com elas.

Este post tem 1 Comentários

  1. Kandis disse:

    Want more visitors for your website? Receive tons of keyword targeted visitors directly to your site. Boost revenues quick. Start seeing results in as little as 48 hours. For more info write a reply to: walter3519rob@gmail.com

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!