Elvis e Madona

“Elvis e Madona”- Brasil, 2009

Direção: Marcelo Laffitte

Lá vai ela de vestido estampado e casaquinho amarelo, salto alto, cabelo louro e muita atitude. Pelas ruas de Copacabana, passo firme, só dá Madona.

A outra chega de moto, rostinho de anjo, toda de couro vestida, jeitinho duro e olhar macio. É Elvis.

Essa dupla vai se encontrar e se encantar.

E a gente na platéia já não sabe mais quem é quem. Ela é ele? Ele é ela?

Não importa. Sentimos e vemos que são pessoas querendo viver, trabalhar, brilhar.

São artistas. Madona dá duro no salão, é cabelereira mas quer o palco. Elvis, que já foi burguesa, sonha em ser fotógrafa política mas rala entregando pizza de moto.

Copacabana, esquina do mundo, é o cenário ideal para o romance que parece impossível mas que acontece frente aos nossos olhos.

E, quando nos damos conta, estamos conquistados por essa dupla improvável e arrebatadora.

Nasceram Elvira e Adailton mas escolheram ser o que são agora, um par que se ama e nos surpreende com a força que o amor tem. E que dá fruto: Angel.

Igor Cotrim, que cria uma Madona com corpo e alma e Simone Spoladore que faz com delicadeza um Elvis bravo e manso, dão show de interpretação. Há tanta garra, emoção e coragem nos dois atores que eles não precisam nos convencer de nada. Ficamos seduzidos desde a primeira cena em que aparecem na tela.

Maithê Proença, numa ponta bem aproveitada, assusta e encanta com aqueles olhos que ela tem. Porque Elvis tem essa mãe poderosa e ama o pai frágil. Enquanto que Madona é órfã, não tem ninguém.

A direção de Marcelo Laffitte, que também é co-autor do roteiro (premiado no Festival do Rio 2010), é competente e firme. Não deixa o filme escorregar para o piegas e nem para a transgressão.

E a trilha sonora é deliciosa, culminando com Gilberto Gil e sua canção “Superhomem”.

“Elvis e Madona” é quase um conto de fadas. Misto de comédia e romance. Risos e beijos. Não percam.

Este post tem 7 Comentários

  1. Deve ser uma delícia de filme. No e-mail q ela manda pra gente, ela explica q é um caso de amor entre um travesti e uma lésbica e conclui:
    – “Mas odeio falar assim pq isso não importa. Eles são gente como a gente. E o amor deles é forte e arrebatador. Eu amei! bjs”.
    Acho tão bom, qdo alguém compreende a complexidade do ser humano, que até minha respiração melhora.

  2. Cláudio Curi disse:

    Eleonora querida, parabéns pelo blog.
    Se puder, dê uma conferida no meu blog sobre cinama, que faço com o ator Gerson Steves. Link abaixo:
    http://tododiaumfilme.blog.com/
    Bjs.

    • Eleonora Rosset disse:

      Claudio querido,
      A primeira coisa que eu fiz foi ir correndo para o seu blog. E que surpresa! Filmes que eu já vi e me lembro, outros que vi mas preciso rever e outros ainda que passaram. Vou fazer a lista e alugar todos!
      Interessante esses comenrários a quatro mãos. O que um perde o outro descobre.
      E o cinema é um campo que se presta a mil modos de olhar e interpretar.
      Parabéns pelo blog e venha sp que puder até o meu.
      Bjs saudosos

  3. soniaclara ghivelder disse:

    Claudio querido!
    Muito bom ver por aqui no blog da nossa amiga querida Eleonora que com o seu conhecimento nos estimula a cada semana com os seus comentários e escolhas.
    Como vc pode ver, o cinema recebe o amor e a paixão que ele nos inspira.
    Desejo que vc tb se torne um special member desse nosso grupo e estenda para os seus amigos que certamente são nossos tb.
    Saudades e baci da sua amiga Sonia Clara

  4. Eut b entrei no blog do Cláudio e achei q é algo simplesmente precioso.
    Quanto filme legal, foi uma viagem ao passado, um passado q vivi com tanta intensidade…

  5. Sola disse:

    Esse filme é uma delícia.Uma porção de chavões usados por eles que cai muito bem e é divertido.
    Bem a história bate de frente com o preconceito e os homofóbicos.
    Vale lembrar que este filmes é feito com baixa renda, logo no início anunciado ( mas não deixou nada a desejar).
    Igor Cotrim ( Ex participante da Fazenda ) dá um show que interpretação, frágil, meigo e carente,e Simone Spoladore ótima como sempre.
    Um casal não tão improvável assim, vi documentário está semana sobre um casal bem parecido com esse. Se conseguir estarei localizando o documentário.

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!