Globo de Ouro 2021

Globo de Ouro 2021

 

Sinceramente? Fiquei com preguiça de reviver a noite de ontem. Foi um erro tentar manter o formato anterior. Porque havia um salão e mesas. Mas quem estava sentado lá? Ninguém que a câmera gostasse.

Pois é. O mais glamoroso dos prêmios para o cinema e a TV tinha a intimidade com os rostos que conhecemos, vivendo personagens, sendo eles mesmos naquela noite. Isso se perdeu. E era a maior atração.

Mas foi assim. E lá estavam as apresentadoras fazendo as gracinhas de sempre numa tela dividida. Tina Fey em Nova York e Amy Poehler em Los Angeles.

O prêmio concedido pela Imprensa Estrangeira de Hollywood ia começar e já havia a reclamação de que só brancos votaram nos indicados… Mas a mente dos brancos e dos negros é diferente? O senso estético não é o mesmo? Estamos falando de gente, jornalistas, não de cor da pele. E o suborno? Já começou aí a minha canseira.

Para contrariar o discurso de que os votantes não são negros, o primeiro vencedor é David Kaluuya, que fez o líder dos Panteras Negras, em “Judas e o Messias Negro”. Aliás parece que esse ano foi maior o número de filmes com atores negros e talentosos e isso é que foi importante, não acham?

“Uma Noite em Miami” dirigido também por uma diretora negra, Regina King, teve indicados em várias categorias. Não basta? O melhor ator recebeu o prêmio póstumo, merecidíssimo, Chadwick Boseman  por “A Voz Suprema do Blues”. “Hamilton” foi indicado. “Billie Holiday” na pele de Andra Day, melhor atriz também. Mas num ponto essa tese teve razão: por que “Destacamento Blood” não levou nenhuma indicação? Merecia.

Então vou comentar só as premiações às quais tive acesso e as que mais gostei.

Rosamund Pike naquele lindo vestido vermelho estava radiante como a melhor atriz em filme musical ou comédia. “I care a lot” é uma maldade com os velhinhos mas escrita de tal maneira que a gente ri.

“The Crown” ganhou melhor série de drama, como sempre impecável em todos os detalhes. Emma Corrin, gracinha, revive Lady Di e ficamos mais íntimos da princesa triste.

Agora, a Thatcher, que eu adorei na pele de Gillian Anderson, teve gente que detestou. Acho que o destino da ”Dama de Ferro” é suscitar amor e ódio para sempre.

Já Josh O’Connor, perfeito como o príncipe herdeiro, soube trazer simpatia ao seu personagem nem sempre compreendido.

“O Gambito da Rainha” série adorada por milhões de fãs pelo mundo inteiro foi outro prêmio que eu aplaudi. Anya Taylor-joy foi a surpresa do ano. Emocionou e encantou essa melhor atriz em série limitada. Nasce uma estrela.

E a Jane Fonda? Toda de branco e prata é a realeza de Hollywood, sem idade, eterna, inteligente e ativista de todos os bons projetos, recebendo seu prêmio Cecil B. DeMille, com um discurso que deixou todos atentos.

O melhor filme em língua estrangeira foi “Minari”, falado em coreano mas sob a bandeira americana. Conta a história de imigrantes coreanos que vem aos Estados Unidos com um sonho difícil mas garra bastante para tentar realizá-lo.

Melhor filme de drama, o meu preferido, “Nomadland”, me deu vontade de revê-lo na telona do cinema porque aquelas paisagens desoladas e belas me fascinaram. A grande Chloe Zhao com o seu jeitinho tímido mereceu o prêmio tão cobiçado de melhor diretora. Comentou que seu filme era “um longo caminho rumo à superação”. Uma mulher que mostra talento e sensibilidade, coadjuvada por duas outras mulheres indicadas (Emmerald Fennell e Regina King). Um feito a ser aplaudido nesse Globo de Ouro.

No mais é só esperar pelo próximo e que seja aquele ao qual já nos acostumamos! Vamos colaborar com vacina, máscara e sem aglomeração.

Cinema

Melhor Filme – Drama

“Meu Pai”

“Mank”

“Nomadland”-vencedor

“Bela vingança”

“Os 7 de Chicago”

 

Melhor filme – Musical ou comédia

“Borat: fita de cinema seguinte”- vencedor

“Hamilton”

“Palm Springs”

“Music”

“A Festa de Formatura”

 

Melhor diretor

Emerald Fennell — Bela Vingança

David Fincher — Mank

Regina King — Uma noite em Miami…

Aaron Sorkin — Os 7 de Chicago

Chloé Zhao — Nomadland- vencedor

 

Melhor atriz de filme – Drama

Viola Davis — Ma Rainey’s Black Bottom

Andra Day — The United States vs. Billie Holiday- vencedor

Vanessa Kirby — Pieces of a Woman

Frances McDormand — Nomadland

Carey Mulligan — Bela vingança

 

Melhor ator de filme – Drama

Riz Ahmed (“O som do silêncio”)

Chadwick Boseman (“A voz suprema do blues”)- vencedor

Anthony Hopkins (“Meu pai”)

Gary Oldman (“Mank”)

Tahar Rahim (“The Mauritanian”)

 

Melhor atriz em filme – Musical ou comédia

Maria Bakalova (“Borat: Fita de cinema seguinte”)

Michelle Pfeiffer (“French Exit”)

Anya Taylor-Joy (“Emma”)

Kate Hudson (“Music”)

Rosamund Pike (“I Care a Lot”) – vencedor

 

Melhor ator em filme – Musical ou comédia

Sacha Baron Cohen (“Borat: fita de cinema seguinte”)

James Corden (“A Festa de Formatura”)- vencedor

Lin-Manuel Miranda (“Hamilton”)

Dev Patel (“The Personal History of David Copperfield”)

Andy Samberg (“Palm Springs”)

 

Melhor ator coadjuvante

Sacha Baron Cohen (“Os sete de Chicago”)

Daniel Kaluuya (“Judas and the Black Messiah”)- vencedor

Jared Leto (“The Little Things”)

Bill Murray (“On the Rocks”)

Leslie Odom, Jr. (“Uma noite em Miami…”)

 

Melhor atriz coadjuvante

Glenn Close (“Era uma vez um sonho”)

Olivia Colman (“Meu pai”)

Jodie Foster (“The Mauritanian”)- vencedor

Amanda Seyfried (“Mank”)

Helena Zengel (“News of the World”)

 

Melhor roteiro

“Bela vingança”

“Mank”

“Os 7 de Chicago”- vencedor

“Meu pai”

“Nomadland”

 

Melhor filme em língua estrangeira

“Another Round” (“Druk”) – Dinamarca

“La Llorona” – Guatemala / França

“Rosa e Momo (“The Life Ahead” ou “La vita davanti a sé”) – Itália

“Minari” – EUA- vencedor

Nós duas” (“Two of Us” ou “Deux”) – França e EUA

 

Melhor animação

“Os Croods 2: Uma Nova Era”

“Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica”

“A caminho da Lua”

“Soul”- vencedor

“Wolfwalkers”

 

Melhor trilha sonora

“O céu da meia-noite” – Alexandre Desplat

“Tenet” – Ludwig Göransson

“News of the World” – James Newton Howard

“Mank” – Trent Reznor, Atticus Ross

“Soul” – Trent Reznor, Atticus Ross, Jon Batiste- vencedor

 

Melhor canção original

“Fight for You” de “Judas e o messias negro” – H.E.R., Dernst Emile II, Tiara Thomas

“Hear My Voice” de “Os 7 de Chicago” – Daniel Pemberton, Celeste

“Io Si (Seen)” de “Rosa e Momo” – Diane Warren, Laura Pausini, Niccolò Agliardi – vencedor

“Speak Now” de “Uma noite em Miami…” – Leslie Odom Jr, Sam Ashworth

“Tigress & Tweed” de “The United States vs. Billie Holliday” – Andra Day, Raphael Saadiq

 

TV

 

Melhor série – Drama

“The Crown”- vencedor

“Lovecraft Country”

“The Mandalorian”

“Ozark”

“Ratched”

 

Melhor série – Musical ou comédia

“Emily In Paris”

“The Flight Attendant”

“The Great”

“Schitts Creek “- vencedor

“Ted Lasso”

 

Melhor série limitada ou filme para TV

“Normal People”

“The Queen’s Gambit” – vencedor

“Small Axe”

“The Undoing”

“Unorthodox”

 

Melhor atriz em série – drama

Emma Corrin (“The Crown”)- vencedor

Olivia Colman (“The Crown”)

Jodie Comer (“Killing Eve”)

Laura Linney (“Ozark”)

Sarah Paulson (“Ratched”)

 

Melhor ator em série – drama

Jason Bateman (“Ozark”)

Josh O’Connor (“The Crown”)-vencedor

Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)

Al Pacino (“Hunters”)

Matthew Rhys (“Perry Mason”)

 

Melhor atriz em série – Musical ou comédia

Lily Collins (“Emily in Paris”)

Kaley Cuoco (“The Flight Attendant”)

Elle Fanning (“The Great”)

Jane Levy (“Zoey’s Extraordinary Playlist”)

Catherine O’Hara (“Schitt’s Creek”) – vencedor

 

Melhor ator em série – Musical ou comédia

Don Cheadle (“Black Monday”)

Nicholas Hoult (“The Great”)

Eugene Levy (“Schitt’s Creek”)

Jason Sudeikis (“Ted Lasso”)-vencedor

Ramy Youssef (“Ramy”)

 

Melhor atriz em série limitada ou filme para TV

Cate Blanchett (“Mrs. America”)

Daisy Edgar-Jones (“Normal People”)

Shira Haas (“Unorthodox”)

Nicole Kidman (“The Undoing”)

Anya Taylor-Joy (“O Gambito da Rainha”)- vencedor

 

Melhor atriz coadjuvante em série

Gillian Anderson – “The crown” – vencedor

Helena Boham Carter – “The crown”

Julia Garner – “Ozark”

Annie Murphy – “Schitt’s creek”

Cynthia Nixon – “Ratched”

 

Melhor ator coajduvante em série

John Boyega (“Small Axe”) – vencedor

Brendan Gleeson (“The Comey Rule”)

Dan Levy (“Schitt’s Creek”)

Jim Parsons (“Hollywood”)

Donald Sutherland (“The Undoing”)

 

Melhor ator em série limitada ou filme para TV

Bryan Cranston (“Your Honor”)

Jeff Daniels (“The Comey Rule”)

Hugh Grant (“The Undoing”)

Ethan Hawke (“The Good Lord Bird”)

Mark Ruffalo (“I Know This Much Is True”)- vencedor

 

 

Este post tem 2 Comentários

  1. Nilso Frco Carvalho disse:

    Só para consta que o vencedor de Melhor ator em filme – Musical ou comédia foi: Sacha B Cohen ( Borat)

  2. Assisti agora o Pai … comovente. Anthony Hopkins está perfeito … o nome, a idade e a grande interpretação, como sempre. Sou fá de carteirinha!

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!