Sem Proteção

“Sem Proteção”- “The Company You Keep”, Estados Unidos 2012

Direção: Robert Redford

Meninos americanos morriam lá longe, na selva asiática, entre 1965 e 1973. Voltavam em sacos negros. Ou o que restou deles.

Todos os dias os americanos ouviam notícias sobre aquela guerra travada “em nome da liberdade e da democracia” e sentiam orgulho pelos meninos mortos por uma causa nobre.

Mas, depois de um tempo, relatos dos massacres de civis como o de Mi Lay e de atrocidades cometidas pelos soldados, fotografadas e filmadas, levaram a surgir vozes dissonantes dentro da própria sociedade americana, a chamada contra-cultura.

Os “Weathermen Underground” foi um grupo radical anti-guerra e de esquerda, batizado por uma canção de Bob Dylan e formado por jovens estudantes, que atuou entre 1969 e metade dos anos 70. Traziam a guerra aos Estados Unidos para acordar o país e fazer com que as pessoas pressionassem o governo a terminar com a guerra lá fora. Colocavam bombas em edifícios públicos mas avisavam antes para que ninguém se ferisse. A mais famosa delas foi colocada nada menos que no Capitólio. Assaltavam bancos mas não usavam armas para matar.

É disso que trata o novo e nono filme de Robert Redford como ator e diretor.

Carismático, com posições políticas liberais, ele sempre foi um homem bonito e inteligente que encantou plateias em filmes inesquecíveis como “Butch Cassidy e Sundance Kid”(1969). Quem não se lembra de “Out of Africa”(1985) ou mesmo de “O grande Gatsby”(1974) e “Todos os Homens do Presidente”(1976)?

Como diretor, Robert Redford ganhou um Oscar por “Gente como a Gente”(1980), filme tocante e iconoclasta.

Desde os anos 80, ele dirige o Sundance Institute que promove o Festival Sundance que apoia novos cineastas e filmes independentes. E continua políticamente ativo.

Com toda essa bagagem, Robert Redford, surpreende em seu novo filme, “Sem Proteção”, porque vai refletir sobre o passar do tempo e colocar uma questão interessante: filhos mudam as pessoas?

Jim Grant, interpretado pelo próprio diretor, é um advogado que defende causas de direitos civis e mora numa cidadezinha tranquila dos Estados Unidos. É viúvo recente e cuida amorosamente da filha de 12 anos.

Ninguém diria que aquele homem pacato foi um ativista dos Weathermen e é procurado há 30 anos pelo FBI por causa de um assalto a banco que causou a morte de um policial.

Quando Susan Sarandon, que interpreta uma ex-ativista do mesmo grupo que se envolveu no assalto, se entrega à polícia, Jim Grant vai ter que defender sua própria causa. Sua identidade verdadeira vem à tona, descoberta por um jovem repórter inescrupuloso e esperto (Shia LaBoeuf).

Pensando na filha, ele tem que provar sua inocência e vai à procura de pessoas de seu passado. Nessa viagem pelo país ele encontra seus ex-companheiros, todos na clandestinidade (Nick Nolte, Richard Jenkins e Julie Christie).

A grande força do filme não está no enredo mas sim no elenco de peso que Redford reuniu. Atores que envelheceram mas que mantém seu carisma na tela.

O próprio Redford não tem medo de filmar a si mesmo cansado e envelhecido. A idade pesa para todos mas o brilho próprio de uma pessoa permanece quando ela é fiel a si mesma e à sua verdade.

Essa é uma lição de vida que esse filme nos ensina.

Este post tem 8 Comentários

  1. Denilson Monteiro disse:

    Realmente, esse elenco impressiona. Adoro Richard Jenkins, sem falar em Redford, Julie e Susan. Quero ver. No passado, Robert fez um personagem com uma vida um tanto parecida no ótimo “Quebra de sigilo”.

    • Eleonora Rosset disse:

      Denilson querido,
      Sabe que eu não me lembro desse filme? Mas vc sp atento e carinhoso comigo! Adoro isso! E é tão raro… Por isso disse que vc é de ouro!
      Bjs da amiga

  2. Ué, tirou a parte q fala dos dois andando de bicicleta no filme Butch Cassidy…?

  3. Eleonora Rosset disse:

    Sylvia querida,
    Nada te escapa ein? Tirei porque a lembrança estava errada… Quem fez a cena foi o Paul Newman! O Redford deu o mergulho sem saber nadar mas aí eu pensei que o melhor era tirar alusões a cenas.
    Tenho que me cuidar com leitoras como vc querida rsrsrs
    Bje e mais bjs

  4. Marco Antonio disse:

    Eleonora

    Qual é a diferença entre este espaço e o do blogspot?
    Sempre vou nele primeiro pq ele tem textos inéditos antes desse espaço. Tentei fazer um comentário lá e não consegui.É assim mesmo?

    abs
    Marco

    • Eleonora Rosset disse:

      Marco Antonio querido,
      É isso. O blogspot agora funciona como um lugar onde coloco o filme em primeiro lugar. Lá tem alguns que não estão aqui. E como às vezes eu faço alterações, a primeira versão fica salva.
      Pena que só vi o seu comentário anos depois… Uma falha desse wordpress é não avisar que há comentários para responder… Desculpe!
      Bjs

  5. Jeison disse:

    Something that I am finding adiitdonally arrogant is the flashy MAILOUTS from a simple PC nominee for my riding.We don’t have a PC membership any longer and I know how this particular candidate has been able to get so up close and personal with us.As well, where is the $$$ coming from for this person to spend like this for the nomination? It’s mindboggling!They have to go and I hope that Allison leads the pack with the exit.

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!