Terceira Pessoa

“Terceira Pessoa”- “Third Person”, Bélgica, França, Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos, 2013

Direção: Paul Haggis

É um filme intrigante. Muitos personagens, em três cidades diferentes. Como todo filme coral, sabemos que as histórias vão se entrelaçar. Em “Terceira Pessoa”, isso acontece de uma forma original.

Assim, quando tudo começa em Paris, o escritor americano, ganhador do prêmio Pullitzer, Michael (Liam Neeson, perfeito no papel) espera Anna (Olivia Wilde, luminosa), sua amante, que vem encontrá-lo em seu hotel. Ele tenta escrever seu novo livro mas algo o perturba profundamente.

Michael e Anna fazem um jogo de gato e rato, com ironias mútuas, fugas e ardentes cenas na cama. E a mulher de Michael (Kim Bassinger) conversa muito com ele no celular, irritando Anna.

Em Roma, outro americano, Scott (Adrian Brody), um espião do mundo da moda que compra desenhos roubados de marcas famosas, envolve-se com uma bela cigana (Moran Atias) que precisa de dinheiro para salvar sua filha pequena das mãos de um cafetão. Mas por que ele volta e meia ouve uma mensagem antiga no seu celular? É de uma menina que o chama de pai.

E, em Nova York, Julia (Mila Kunis), uma atriz desempregada luta com o ex-marido (James Franco) na justiça para conseguir o direito de visita a seu filho, com a ajuda de uma advogada (Maria Bello). Estranhamente, essa mulher não consegue mergulhar na própria piscina. O que foi que aconteceu de tão terrível entre Julia e seu filho?

De repente nos damos conta de que, em todas as histórias há crianças em perigo. E aí nos lembramos de ter ouvido um menino dizendo “Olhe-me!” no início do filme, o que mexe demais com Michael, o escritor. Ele se lembrou da frase e a ouviremos ser repetida outras vezes, durante o filme.

“Terceira Pessoa” põe o espectador que gosta de “puzzles”, aquele jogo de pecinhas que se encaixam formando uma imagem, a procurar relações entre as histórias. Outros, poderão se desinteressar e achar que o diretor e roteirista, Paul Haggis, complicou demais e que o filme pula de lá para cá apenas para confundir.

É bom dizer que há um segredo na vida de Michael que será esclarecido no final, que é a raiz de seus bloqueios como escritor, sua culpa e depressão.

A uma certa altura, lemos no computador do escritor uma frase solta:

“Ele escreve para contar mentiras a si mesmo.”

Michael escreve sempre na terceira pessoa do título do filme. O “eu” está ausente. Não consegue encarar sua culpa na tragédia que aconteceu.

Paul Haggis, 62 anos, que já ganhou dois Oscars por seu filme “Crash” , melhor filme e roteiro original em 2006, em “Terceira Pessoa” não consegue o mesmo feito, apesar do excelente elenco e das belas tomadas em cidades fotogênicas. Mas o filme agrada a um certo tipo de público que gosta de filmes mais elaborados e toques de pecado.

 

Este post tem 4 Comentários

  1. Acabo sp achando que sou eu que não tô conseguindo entender, mas finalmente chego à conclusão que o cara que escreveu e dirigiu o filme, é que se perdeu na explicação.
    É, sp tem uma criança correndo risco, mas foi o escritor que se distraiu rapidamente e a filha, ou filho, morreu afogada na piscina.
    Então todas aquelas histórias aconteceram com ele mesmo?
    E a moça que dormia com o pai?
    Aquilo pareceu tão gratuito, só pra “chocar os burgueses”, como se dizia antigamente.
    Enfim, sei, não: “mudaria o Natal, ou mudei eu?”

  2. Sylvia querida,
    Ele é um escritor que ganhou o Pullytzer. É dos bons. Vc já pensou que ele está escrevendo o livro e mistura realidade com ficção? Eu vi assim. Mas também não vou impor minha interpretação. Cada um veja como lhe parecer. E todos tem o direito de não se interessar também.
    Bjs

  3. João Tomé Peloso de Sousa disse:

    Temos os atores, os roteiros e os cenários. Cada expectador monte o seu proprio filme. Uma mesma estória em três cenários

  4. João Tomé Peloso de Sousa disse:

    Temos os atores, os roteiros e os cenários, cada expectador monte o seu proprio filme; Uma mesma estória em três cenários.
    Já assistir três vezes e montei um final pra cada vez

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!