O Julgamento de Viviane Amsalem

“O Julgamento de Viviane Amsalem”- “Gett”, Israel, França, Alemanha, 2014

Direção: Ronit Elkabetz e Shlomiu Elkabetz

Aos olhos de uma pessoa que viva num estado laico, pode parecer impensável o que acontece no filme dos irmãos Elkabetz. Ou seja, para conseguir um divórcio, Viviane Amsalem (Ronit Elkabetz, magnífica atriz e co-diretora) pena por cinco anos em um tribunal de rabinos, porque seu marido Elisha (Simon Abkarian) não quer conceder-lhe o divórcio (“gett”), de jeito nenhum.

Seu estratagema é faltar seguidamente nas audiências marcadas pelos rabinos e, quando presente, anunciar que é bom marido, pai e provedor, um homem perfeito, pela boca de testemunhas que comparecem a esse tribunal. Pergunta então, por que Viviane quer se separar de um homem assim?

Acontece que a religião judaica é antiga e sábia. Mas sabemos que as leis dependem dos homens que as aplicam. O casamento e o divórcio são presididos por rabinos, já que não há casamento, nem divórcio civil entre os judeus.

Tendo a anuência do casal, o divórcio, concedido pelo marido, que deve dizer claramente que a mulher está disponível para outros homens, não dura mais que uma hora.

Mas , se o marido se recusa e nega o divórcio à esposa, o tribunal de rabinos tentará convencê-lo e mesmo, coagí-lo, com penas que vão desde a retirada da carteira de motorista, até a prisão. Isso porque uma mulher separada e, não divorciada, tem sérios problemas para sobreviver. Até os filhos que ela possa ter com outro homem são punidos, já que são considerados bastardos e só poderão casar-se com outros da mesma condição. Ela será para sempre uma pária humilhada, uma “agunah” (acorrentada) .

Esse é o caso de Viviane Amsalem que, com a ajuda de seu advogado Carmel (o ótimo Menashe Noy), tenta, de todas as maneiras a seu alcance, fazer valer o seu direito, já que ninguém pode obrigar alguém a ficar casado contra sua vontade, segundo a lei judaica.

Mas, sabemos como são os homens e as mulheres. Haverá sempre pessoas sensatas e as insensatas.

No caso do casamento de Viviane, vai ficando claro, conforme se desenrola o julgamento, que ela aguentou por 30 anos uma situação infeliz. Casou-se aos 15 anos, teve quatro filhos mas , agora, diz em alto e bom som:

“- Eu não quero viver com ele. Não quero!”

E, por mais que o irmão de Elisha, Shimon (Sasson Gabai), tente fazê-la ser vista como uma mulher louca e ingrata, perante os olhos e os ouvidos do tribunal presidido pelo rabino Solomon (Eli Gornstein), e mais outros dois, Viviane vai lutar.

O filme tem um clima claustrofóbico, apertando os personagens no tribunal, numa sala pequena e simples. E noutra, de espera, menor ainda.

E, aos poucos, vamos nos identificando com o sofrimento de Viviane, mostrado nos longos closes em seu rosto expressivo e passamos a entender os olhares que Elisha dirige a ela. Há arrogância e vontade de ganhar, custe o que custar. Ele irá até o fim, fazendo valer sua doentia ilusão de posse sobre Viviane.

Os diretores e roteiristas, os irmãos Elkabetz, dizem que se inspiraram na própria mãe para compor Viviane, personagem forte e altiva.

Esse filme é o último de uma trilogia sobre a família deles, judeus sefaradis que vieram do Marrocos para Israel. Mas não é necessário ter visto os outros dois (“Prendre Femme”2005 e “Les Sept Jours”2008) para compreender que “Gett” é mais do que um filme sobre um divórcio judaico.

O que se discute aqui é a própria condição humana. E o fato de, por vezes, reinar entre nós, onde quer que se viva, a insanidade, que provoca sofrimentos inúteis em pessoas inocentes.

 

Este post tem 2 Comentários

  1. Lilian Azevedo de Moraes disse:

    Ola,Eleonor
    Parabens pelo Seu blog ,as analises sobre so filmes São excelentes.
    Gostaria de saber onde e possivel conseguir,esses filmes depois que saem do circuito de cinemas ?
    Obrigada,Lilian

  2. Eleonora Rosset disse:

    Lilian querida,
    Depende. Muitos saem em DVD para vender e vc compra em lugares como a Livraria Cultura Iguatemi. Outros vc aluga nas locadoras e outros ainda vão para Netflix e outros.
    Tem que garimpar!
    Obrigada pelo carinho!
    Bjs

Deixe seu comentário

Obter uma imagen no seu comentário!